11/03/2020 às 07h30min - Atualizada em 11/03/2020 às 07h30min

Sociedade Civil Organizada defende manutenção do GAECO

NCIA, MCCE e CARAS PINTADAS DEFENDEM MP

- foto: internet arquivo
entidades saem em defesa do GAECO
Nota de repúdio à extinção do GAECO

 
As entidades da Sociedade Civil Organizada: Movimento Nacional dos Caras Pintadas, Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e o Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa, através de suas Diretorias, dos seus representantes legais, vêm a público, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelos os respectivos estatutos sociais, dirigir-se ao Ministério Público Estadual e à sociedade alagoana para afirmar o que segue:

 
1. Todas as entidades acima nominadas, manifestam veemente repúdio aos deputados estaduais do estado de Alagoas, que aprovaram a extinção do GAECO - Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, que detém atribuição para oficiar representações, inquéritos policiais, procedimentos investigatórios e processos destinados a identificar e reprimir as organizações criminosas, em todas as fases da persecução penal, inclusive audiências, até decisão final.

 
2. Assistimos com muita apreensão a interferência dos deputados estaduais nas questões de cunho administrativo do Ministério Público de Alagoas, extinguido um dos mais atuantes grupos de combate a corrupção.

 
3. Apresentamos nossa solidariedade aos promotores e procuradores de justiça, na certeza de que o gesto da assembleia foi infeliz, e merece ser corrigido.

 
4. As entidades irão se manter firmes no compromisso supremo de defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, que estão sendo violados por parlamentares que não conhecem as regras que garantem a existência de promotores livres e independentes.

 
5. A diretoria das entidades permanecerá se posicionando contra qualquer tipo de retrocesso, na luta pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária, e contra qualquer ato que retire conquistas como transparência pública e fiscalização do erário.

 
6. Nesse sentido, a extinção do GAECO mediante interesses políticos, até agora desconhecidos, ferem a autonomia administrativa do Custos Legis quanto à sua organização interna, se configura em um retorno ao retrocesso e às diferentes formas de extermínio promovidas pela classe política, violando amplamente os deveres constitucionais do Ministério Público.

 
7. Por fim, solidarizamo-nos estendendo nossas mãos em coalizão para manifestar nosso mais veemente repúdio pela extinção do GAECO.

Maceió, 10 de março de 2020

 
Assinam esta nota as seguintes entidades:
 
 
MNCP - Movimento Nacional dos Caras Pintadas
MCCE - Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral
NCIA - Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa


 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Na sua opinião, o prefeito Cacau Filho, até o momento está sendo:

24.2%
5.0%
1.3%
8.8%
59.7%
0.9%