17/07/2018 às 13h54min - Atualizada em 17/07/2018 às 13h54min

Em greve, servidores municipais fazem passeata até o gabinete do prefeito

Paralisação acontece por tempo indeterminado; categoria decidiu rumos do movimento durante assembleia no Clube Fênix

Em greve a partir desta terça-feira (17), os servidores públicos municipais se reuniram no Clube Fênix, no bairro do Jaraguá, e, de lá, partiram em passeata pelas ruas do Centro da cidade, em direção ao gabinete do prefeito. A categoria pede 15,41% de reposição inflacionária e luta para que o reajuste atenda cerca de 13.500 servidores ativos e aposentados. 

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), Maria Consuelo, o único aumento proposto pelo Município foi de 3%. Caso a Prefeitura judicialize a greve, os sindicatos envolvidos - uma média de oito entidades - devem, também, acionar seus departamentos jurídicos para contrapor o Executivo. "Neste caso, também vamos buscar, na Justiça, nossos direitos e mostrar que quem está sendo ilegal é o gestor, que não garante o reajuste dos trabalhadores", alertou. 

 

Na oportunidade, a sindicalista disse que não há reconhecimento do Município aos servidores, "pelo que representam para a sociedade maceioense". "Precisamos estar nas ruas para dizer não a esse governo que não reconhece os servidores, para que possamos marchar e cobrar desse prefeito". 

DELIBERAÇÕES

Durante a manhã, centenas de servidores ocuparam o pátio do Clube Fênix para ouvir as primeiras deliberações do movimento grevista. Após a assembleia, os profissionais das mais diversas áreas saíram em passeata pelas ruas do Centro, com destino à sede da Prefeitura, no Jaraguá. "Pedimos a participação de todos para que a gente não dê um tiro no pé", declarou Sidney Lopes, presidente do Sindicato dos Servidores Público do Município de Maceió. 

O comando de greve também definiu as ações para amanhã, quando passam por locais de trabalho da Educação, Saúde e Segurança, como forma de fortalecer o movimento. Maria Consuelo reforçou que 73 escolas já estão sem funcionar e outras estão parcialmente fechadas. 

"Vamos buscar as escolas que estão abertas para conscientizar os trabalhadores da importância do movimento. Na quinta, faremos peregrinação nas rádios, para dizer o que está acontecendo no Município de Maceió. E, na sexta, uma ação na porta da Secretaria de Finanças", pontuou a presidente do Sinteal. 

No pátio do Clube, os servidores exibiram uma faixa com os dizeres: "Nem zero nem 3%. Servidores públicos de Maceió merecem mais". 



REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO

A categoria pleiteia 15,41% de reposição, que precisa contemplar os cerca de 12.600 servidores ativos e, aproximadamente, oito mil aposentados. 

No início da manhã, por telefone, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Sidney Lopes, salientou que o Município não quer conceder o mínimo ao funcionalismo, que é a reposição inflacionária de três anos. Além disso, segundo ele, o embate gira em torno da implantação do data-base, que deveria ter ocorrido em janeiro deste ano, sendo implementado apenas em maio e sem nenhum retroativo.

"Como se não bastasse, tem a progressão por mérito que o prefeito não deu valor. De dois em dois anos, temos direito a 5% de aumento pelo Plano de Carreiras. No momento, o Município atrasa duas progressões", pontuou Lopes. 

Fonte: Gazeta web

Foto:Marcelo Amorim


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Na sua opinião, o prefeito Cacau Filho, até o momento está sendo:

24.0%
5.1%
1.3%
9.0%
59.9%
0.6%