31/01/2022 às 07h57min - Atualizada em 31/01/2022 às 07h57min

ALDIR BLANC: SECULT INVESTIU MAIS DE R$ 36 MILHÕES NO SETOR CULTURAL EM 2021

Impactado pela pandemia, segmento teve amplo apoio dado a grupos e artistas por meio de editais, como a Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc

 

O ano de 2021 foi muito especial para o desenvolvimento do setor cultural em Alagoas. Como forma de incentivo às produções artísticas em nosso estado, o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult),  foi responsável pela administração de parte do recurso da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura, do Ministério do Turismo. Aprovada em junho de 2020, a Lei serviu como um apoio emergencial ao setor cultural durante a crise sanitária, ocasionada pela Covid-19 nesses últimos dois anos.

Ao todo, foram realizados 17 certames com um investimento total de R$ 36.946.500 em diversos segmentos culturais: música, artesanato, literatura, cultura e manifestação popular, projetos culturais, pontos, coletivos e espaços culturais, artes visual e digital, artes cênicas, patrimônio e audiovisual. Foram mais de 1.800 premiações, que beneficiaram grupos, artistas individuais e produções culturais, contribuindo assim para que muitos sonhos saíssem do papel no ano de 2021.

A cantora alagoana Suzi Mariana foi uma das contempladas no segmento musical. Em novembro, ela lançou seu novo EP “Pagando o Preço”, premiado por meio do edital Zailton Sarmento.  “O projeto só foi possível graças ao apoio da Lei Aldir Blanc que nos apresentou uma luz no fim do túnel. Sim, quem é artista independente e vive/trabalha com arte sabe do que tô falando. O sentimento é gratidão.”, disse a artista.

No segmento fotografia, um dos destaques foi o lançamento do fotolivro “O Guerreiro dá Força Para Viver”, de Tayná Almeida. O projeto concretizou-se a partir da produção de registros de integrantes do grupo de Guerreiro São Pedro Alagoano, de Maceió.  “O objetivo foi apresentar o período de efervescência do folguedo, ocorrido entre os anos de 1930 e 1960”, destacou a rainha e coordenadora do Guerreiro São Pedro Alagoano, Maria Helena.

Falando em projetos inovadores, a grande reportagem multimídia da jornalista Laís Falcão chama atenção pela originalidade. O projeto ‘Na Maré Das Lives: O fenômeno das transmissões de shows online em Alagoas durante o primeiro ano da pandemia de Covid-19’ documentou em texto, imagens, áudios, vídeos e infográficos o trabalho dos fazedores de cultura alagoanos nesse período. “Em tempos pandêmicos, os artistas precisaram se reinventar e procurar alternativas para demonstrar sua arte”, disse a jornalista.

Para a secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, a Lei Aldir Blanc Alagoas foi um importante instrumento de apoio ao setor no Estado durante a pandemia. “A sensação é de dever cumprido. Conseguimos finalizar o ano de 2021 com 100% dos recursos pagos”, destacou. “Os editais foram fundamentais nesse período tão difícil para a nossa cultura. Vimos muitos sonhos e projetos saindo do papel. Esta foi uma conquista construída por muitas mãos", finalizou a titular da pasta.









alagoas.al.gov.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Na sua opinião, o prefeito Cacau Filho, até o momento está sendo:

24.2%
5.0%
1.2%
8.7%
59.9%
0.9%