24/04/2018 às 14h17min - Atualizada em 24/04/2018 às 14h17min

Presidente do Sindjornal diz que prisão de jornalista abre precedente perigoso

Izaias Barbosa classifica medida judicial como extrema e exagerada

- fonte: gazetaweb
Jornalista Maria Aparecida de Oliveira

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal), Izaias Barbosa, classificou como exagerada e uma ação extrema a prisão da jornalista Maria Aparecida de Oliveira, de 68 anos, acusada de atacar o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, em postagens em um blog pessoal. Segundo Barbosa, a medida abre um precedente muito perigoso.

Questionado pela Gazetaweb sobre o episódio, levado ao conhecimento público na tarde dessa segunda-feira (24), o sindicalista informou que a entidade ainda vai tomar ciência do conteúdo do processo e da decisão do juiz da 3ª Vara Criminal da Capital para, então, decidir qual o posicionamento oficial.

Entretanto, adiantou que o Sindjornal vai acompanhar a tramitação de perto. E afirmou que o sindicato não aceita qualquer tipo de medida extrema com a intenção explícita ou subliminar que busque calar um comunicador.

"Houve um excesso. Como o processo é de calúnia, não caberia uma prisão, mas ainda vamos saber o que realmente motivou este decreto", comenta Barbosa. Ele reforçou que medidas desta natureza podem abrir precedentes perigosos.

"De antemão, reiteramos que o Sindicato dos Jornalistas de Alagoas é contra qualquer tipo de medida que cerceie a atividade profissional da categoria", avalia.

O FATO

A jornalista Maria Aparecida de Oliveira, de 68 anos, foi presa nesta segunda-feira (23) por determinação da 3ª Vara Criminal da Capital pela prática dos crimes de calúnia, difamação e coação de testemunhas no curso do processo. As acusações são do Ministério Público Estadual (MPE/AL). 

Ela foi presa em cumprimento a um mandado de prisão preventiva executado na sua residência, localizada na Rua Aristeu de Andrade, no bairro do Farol. Presa preventivamente, ela foi levada para a Central de Flagrantes.

As acusações que resultaram na prisão teriam sido feitas pela jornalista contra o procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça, sem a apresentação de provas, segundo o MPE. 

Nas denúncias veiculadas no seu blog e nas redes sociais, a jornalista faz acusações ligadas à época em que ele era Secretário de Segurança Pública.


fonte: gazetaweb


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Na sua opinião, o prefeito Cacau Filho, até o momento está sendo:

24.0%
5.1%
1.3%
9.0%
59.9%
0.6%