04/11/2021 às 07h50min - Atualizada em 04/11/2021 às 07h50min

Defesa Civil coordena simulado nos bairros atingidos pelo afundamento do solo

Operação Alagoas 2 é parte de um treinamento do Exército Brasileiro e ocorre para integrar equipes de resposta a desastres

vice-prefeito Ronaldo Lessa esteve presente no início das atividades da Operação Alagoas 2.

A Defesa Civil de Maceió está participando da Operação Alagoas 2, uma simulação organizada pelo Exército Brasileiro (EB) para integração entre agências municipais, estaduais e federais no enfrentamento a desastres. A ação começou oficialmente nesta quarta-feira (3) e segue até esta sexta-feira (5).

Em maio, a Defesa Civil de Maceió encaminhou à coordenação de cada uma dessas agências os Planos de Contingências para o município de Maceió e para as questões referentes aos afundamentos do solo em virtude da mineração de sal-gema. Esse documento serviu como base para o planejamento de atuação de cada entidade.

Nesta quinta-feira (4), as instituições participarão de um exercício simulado de evacuação de edificação e de resgate de feridos em soterramento. Os exercícios ocorrerão nos bairros que sofrem com o processo de subsidência.

Para o vice-prefeito de Maceió, Ronaldo Lessa, que participou da cerimônia de abertura da ação representando o prefeito de Maceió, JHC, uma ação conjunta desse tipo é importante do ponto de vista do planejamento. “Esse exercício prepara Maceió e os entes envolvidos para reagir em casos de eventos que venham a colocar nosso povo em situações de risco, por isso acho importante participar e apontar quais melhorias poderão ser feitas para o caso de uma eventualidade”, disse o prefeito.
 

O coordenador geral da Defesa Civil de Maceió, Abelardo Nobre, destacou que o exercício é importante para medir o tempo de resposta das instituições.

“O Plano de Contingência é claro sobre a participação de cada órgão, onde cada um faz o que é a sua atribuição e usa sua experiência de forma eficaz. Mas precisamos simular essas situações para entender quais são as principais dificuldades para dar as respostar numa possível catástrofe”, explicou Abelardo.

Para o general Vinicius Martinelli, comandante da 7ª Divisão do Exército, com sede em Recife ressaltou que a Operação Alagoas 2, ocorre como parte da conclusão do exercício da Operação Guararapes.

“A Operação Alagoas 2, embora não seja um exercício de guerra, nos dá a oportunidade de atuar numa situação de trazer a normalidade numa área afetada. Nós agradecemos a oportunidade de compartilhar conosco da Operação Guararapes a oportunidade de participar desse adestramento que, neste momento não é possível em nenhum outro estado da federação”, concluiu o general.

Além da Defesa Civil de Maceió e do Exército Brasileiro participam também a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Maceió, Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social, Samu, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Grupamento Aéreo, Aeronáutica, Marinha, CBTU, Algás, Equatorial, Casal e BRK.







secommaceio


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Na sua opinião, o prefeito Cacau Filho, até o momento está sendo:

24.2%
5.0%
1.2%
8.7%
59.9%
0.9%